Sunday, July 31, 2016

Salão de Elétricos de SP terá duas pistas de test-drive

Veículos de passeio híbridos e elétricos e bicicletas, patinetes, skates, scooters, entre outros equipamentos, todos elétricos, poderão ser testados durante o Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos (1 a 3 de setembro), no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Mais de 30 empresas fornecerão os veículos.

São duas pistas indoor, uma para híbridos e elétricos, e outra (denominada Smart City) para bicicletas, patinetes, skates, scooters, entre outros equipamentos, todos elétricos.

"Será uma maneira muito interessante de colocar o consumidor final em contato com as novas tecnologias de mobilidade", disse Ricardo Guggisberg, presidente da Associação Brasileiro do Veículo Elétrico (ABVE). "É fundamental que os brasileiros conheçam os produtos de emissão zero ou de baixíssima emissão veicular", completou.


Além de atrações mais "comuns", como o novo Toyota Prius, haverá veículos e equipamentos de marcas como BMW, Bosch, BYD, Compact Car, Club Car, Cooltra, CPFL, Eletra Bus, EP, Mercedes-Benz, Moura, Power Solutions, Schreder, Semikron, SI Soluções Inovadoras, Tramontina e Volvo, entre outras.

Saturday, July 30, 2016

PROJETO DE LEI QUER IMPLEMENTAR NOTIFICAÇÃO DE MULTAS EM TEMPO REAL

Condutor seria notificado por e-mail ou mensagem de texto (SMS) no celular. Projeto ainda tramita na Câmara

Central de Radares CET
Algumas notificações de infração de trânsito podem demorar até meses para chegar pelo correio depois de cometidas. Isso pode mudar com o Projeto de Lei 4778/16, que prevê que as infrações de trânsito sejam notificadas em tempo real aos motoristas por meio eletrônico, seja por e-mail ou mensagem de texto para celular.
De autoria do deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF), a proposta (confira o texto na íntegra aqui) de notificação de trânsito em tempo real deverá ter informações como: o tipo, o local, a data e a hora da infração. A notificação por e-mail ou mensagem de texto para celular (SMS) seria mais uma comodidade do que um procedimento padrão, pois não substituiria o recebimento da autuação por correio na residência do condutor.
“São recorrentes os casos em que motoristas que, por falta de atenção, sinalização inadequada, descuido, entre outros motivos, cometem infrações e quando as recebem não se recordam do local ou da razão que ocasionou a infração. Embora seja obrigação do condutor conhecer as leis de trânsito, em geral, isso se dá em virtude do longo tempo entre o cometimento da infração e a ciência dela pelo motorista em sua casa, período que pode chegar a três meses”, justifica o deputado. A medida também ajudaria os motoristas a manterem maior controle sobre a pontuação acumulada na CNH, evitando a perda da habilitação.
Segundo o texto, os proprietários de veículos deverão manter seus dados cadastrais eletrônicos atualizados junto ao órgão executivo de trânsito do Estado ou Distrito Federal. O Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) será o responsável por definir os procedimentos de notificação eletrônica. Se aprovada, o Projeto de Lei 4778/16 incluirá o artigo 282-A na Lei nº 9.503 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).
Fonte: Quatro Rodas

Novo Audi A3 tem versões híbrida e elétrica


Para seguir a nova identidade visual da Audi, a família A3 estreia mudanças significativas na linha 2017. Os modelos hatch, Sportback (de quatro portas), Sedan e Cabriolet, além do esportivo S3 nas mesmas opções de carroceria, adotaram um design mais moderno, interior com maior refinamento e novos equipamentos, com destaque para o sistema Virtual Cockpit, já presente em outros carros da fabricante alemã.

Em suma, o Audi A3 não perdeu boa parte da sua essência. A cara do carro é praticamente a mesma da linha anterior, mas agora mais moderna. Há faróis com recorte diferenciado e xênon de série em todas as versões (como opcional, a empresa oferece a tecnologia Matrix LED), além de grade com formato levemente alterado, para-choques redesenhados e lanternas com novo layout interno. As rodas também são novas.

O interior traz um novo volante de três raios e o sistema de entretenimento MMI atualizado, com menus simplificados e controles de voz avançados. Como opcional, há o Cockpit Virtual, que se resume a um painel de instrumentos com tela TFT de 12,3 polegadas.

Entre os motores, o A3 2017 vai dispor de um 1.0 TFSI de três cilindros, com 116 cv, 1.4 TFSI de 152 cv, 2.0 TFSI de 192 cv, 1.6 TDI de 110 cv e 2.0 TDI de 152 cv ou 186 cv. Há ainda a versão e-tron híbrida, com um 1.4 TFSI a gasolina e outro elétrico, além de baterias de íon de lítio de 8,8 kWh, com 206 cv, e o g-tron, movido a gás natural, com um 1.4 TFSI de até 112 cv.

O modelo S3, opção mais interessante da linha, traz uma nova versão do 2.0 TFSI, que entrega até 314 cv e 40,8 kgfm. Ainda não se sabe, porém, quando o novo Audi A3 será lançado no Brasil, já que o modelo (pelo menos na carroceria sedã) é produzido em solo nacional. Todavia, espera-se que o automóvel dê as caras por aqui durante o Salão de São Paulo, em novembro.


Publicado no Verdesobrerodas

Origem: Blogauto

Friday, July 29, 2016

Rio incentiva compartilhamento de veículos elétricos


A prefeitura do Rio de Janeiroacaba de lançar o edital que apresenta um projeto pioneiro para o país e se engaja em sua campanha por projetos de sustentabilidade. A capital do estado fluminense que possui a maior rede de ciclovias do país, agora quer incentivar o compartilhamento de veículos elétricos.

A prefeitura prevê que as tarifas de aluguel desses veículos custem a partir de R$ 18, valor que irá variar em função da modalidade de contratação que o usuário do sistema queira contratar. As opções deverão variar entre contratos diários, semanais, mensais e até anuais.

A licitação prevê que os veículos possam ser alugados em 25 estações que estarão situadas entre a zonal sul ao centro da cidade. Toda a gerência e administração será entregue à iniciativa privada.


A expectativa da prefeitura é tanta que o prefeito espera ter o sistema em funcionamento já durante as Olimpíadas que serão disputadas na cidade em Agosto. A previsão é a de que os veículos elétricos possam ser alugados via aplicativo de celular, bastaria o usuário se cadastrar e confirmar o pagamento, dirigir-se a uma das 25 estações disponíveis e pegar o veículo.

O modelo dos veículos a serem adotados pela capital fluminense deverá ser semelhante aos que circulam nas cidades de Paris (França) e Amsterdã (Holanda). A frota da capital francesa já somam três mil veículos.

Um dos elementos constantes nos requisitos da licitação é o monitoramento que deverá ser realizado pelas empresas sobre a frota elétrica, segundo a prefeitura a ideia é minimizar os riscos de furtos e roubos dos veículos.

Eduardo Paes, prefeito do município, afirmou que além dos veículos serem sustentáveis por não emitirem poluentes, os mesmos também ajudarão a descongestionar o trânsito nas vias da cidade. Segundo estudos realizados pela capital francesa, os veículos elétricos que são bem menores que os comuns.

Segundo a Associação Brasileira de Veículos Elétricos, existem hoje em todo o país apenas 95 modelos que funcionam unicamente à base de energia elétrica.


Publicado no Verdesobrerodas

Hyundai prepara elétrico que pode rodar até 402 km

A Hyundai quer entrar de vez no segmento dos carros elétricos. Segundo a imprensa internacional, a montadora está trabalhando num carro que terá autonomia de 402 quilômetros com uma única carga. Ele chegará ao mercado em 2020.
A tecnologia usada no Ioniq será aprimorada para outros carros

O trabalho da Hyundai com carros elétricos tem sido intenso nos últimos seis anos, e os próximos dois deve haver uma intensificação de estudos e desenvolvimentos na área.
O híbrido Ioniq, por exemplo, terá uma versão totalmente elétrica nos Estados Unidos até o final do ano. Além disso, outras versões híbridas plug-in surgirão em breve no mercado, com autonomia na faixa dos 177 km. A tecnologia usada no Ioniq será compartilhada nos próximos anos com Kia e Genesis, marcas que fazem parte do mesmo grupo.
Fonte: Carro Online

Thursday, July 28, 2016

Estudo revela que fezes de porco podem ser transformadas em óleos similares aos produtos de petróleo

Produto pode ser utilizado para produzir asfalto, entre outras finalidades
Uma pesquisa realizada pela Universidade Agrícola da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, observou que fezes de porco podem ser processadas e transformadas em óleos similares aos produtos de petróleo. O produto pode ser utilizado para produzir asfalto, entre outras finalidades. Desta forma, a produção do asfalto se torna mais barata e oferece benefícios ambientais, já que diminui o uso do mineral.
A descoberta favorece ainda outras indústrias. As fezes suínas podem ser usadas ainda na fabricação de produtos semelhantes a colas e ceras. O mesmo estudo também concluiu que o refinamento desses óleos não é capaz de gerar líquidos combustíveis, como gasolina.

Fonte: Motor Dream

Elon Musk se aproxima de energia solar com a parte 2 do Plano Diretor da Tesla

CEO da Tesla Motors, Elon Musk, revelou a parte 2 do Plano Diretor da companhia, dando sequência a um planejamento que foi iniciado lá em 2005. Como adiantamos no começo desta semana, a guinada agora é na direção da energia solar, com os planos de adquirir a empresa SolarCity.
Os objetivos da empresa envolvem vender geração e armazenamento de energia renovável de maneira integrada, assim como se expandir para outras formas de transporte terrestre. Isso inclui caminhões, ônibus e veículos de transporte autônomo.
Para finalizar, o terceiro objetivo é permitir que os donos de um Tesla compartilhem seu veículo com outras pessoas enquanto não estiverem usando. Seria cobrado um preço pelo uso do carro, é claro, então eles poderiam ganhar uma grana por isso – e quem sabe até recuperar o investimento no veículo.
A Tesla busca expandir sua linha além dos atuais Model S, Model X e Model 3. A ideia é, em breve, trazer uma SUV compacta e um novo tipo de picape.
Além disso, Musk diz que tem como objetivo criar caminhões elétricos para trabalhos pesados e soluções de transporte urbano de alta densidade de passageiros – os famosos ônibus.
"Quando a verdadeira direção autônoma for aprovada pela regulamentação, isso quer dizer que você poderá chamar o seu Tesla de basicamente qualquer lugar", diz o CEO da companhia.
E isso deve acontecer quando? Bom, os planos de Musk envolvem retirar a denominação de "beta" do Piloto Automático da Tesla quando ele estiver aproximadamente 10 vezes mais seguro do que a média de veículos dos Estados Unidos.

Fonte: Adrenaline

Wednesday, July 27, 2016

BMW Série 7 híbrido roda no elétrico a até 140 km/h

BMW 740Le
A BMW está aumentando sua gama de carros híbridos e elétricos. A novidade da vez é o BMW Série 740e (ou 740Le, na versão alongada, que aparece nas fotos desta reportagem), que terá motor 2.0 acoplado a um elétrico. Juntos, serão capazes de entregar 330 cv. O motor elétrico terá autonomia para rodar cerca de 40 quilômetros. O câmbio será automático de oito velocidades.
O sedã será capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 5s3. O motorista poderá escolher entre quatro modos de condução, do mais tranquilo ao mais invocado, alterando também o ajuste da suspensão. A tecnologia que equipa o 740e será capaz de deixar o carro rodar só com o motor elétrico em velocidades de até 140 km/h, sempre que entender que não é necessário o uso do motor a combustão para entregar mais força -- mas o motorista pode controlar isso e rodar só com o motor a combustão na estrada, guardando autonomia do elétrico para trechos urbanos no final da viagem.
O visual do 740Le (alongado) é igual ao da versão a combustão

O motor elétrico pode ser carregado em 4 horas nas tomadas tradicionais e em 3 horas caso o proprietário use o BMW i Wallbox, carregador oferecido como opcional. O luxuoso híbrido começará a ser vendido nos Estados Unidos a partir de agosto, com preço inicial de US$ 90.095. Para diferenciar externamente a versão "verde" da tradicional, o 740e terá os emblemas da linha elétrica da BMW na carroceria.
Fonte: Carro Online

Exército brasileiro conta com carro elétrico na frota


O Exército Brasileiro recebeu o primeiro veículo elétrico e um eletroposto que fazem parte do projeto piloto de segurança energética. Tanto o veículo quanto o posto de abastecimento serão monitorados pelo sistema de gestão de mobilidade inteligente Mob-i.ME, que captará energia solar por meio de 12 baterias de sódio que acumulam até 282 kWh.

Pioneiro no Brasil, o projeto Segurança Energética Módulo de Armazenamento de Energia possui um sistema híbrido, que pode coordenar várias fontes de energia simultaneamente, como a solar, eólica, hidrelétricas, diesel, biometano e geotérmica. Esse processo irá gerar uma economia de aproximadamente R$ 30 mil para o Exército mensalmente, cerca de 10% da sua fatura de energia. A economia poderá dobrar, caso o sistema seja acionado no horário de ponta, momento em que a energia custa mais caro.

A cerimônia de lançamento do projeto-piloto e da entrega do carro elétrico aconteceu no quartel general do Exército Brasileiro no Setor Militar Urbano, em Brasília. A concepção deste projeto é uma parceria entre a Força Terrestre, Itaipu Binacional e Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI).  “No nosso desenvolvimento militar, no aperfeiçoamento de sistemas de Defesa, o grande gargalo que encontramos hoje está exatamente na capacidade precária, ainda, de armazenamento de energia. O que estamos fazendo aqui tem uma clara e importantíssima perspectiva de futuro”, afirmou o comandante do Exército, general-de-exército Eduardo Villas Bôas.

 “A Defesa será tão mais forte, quanto mais forte for a participação da área empresarial, da economia como um todo e da área científica e tecnológica”, defendeu o general.

O carro, da marca Renault Fluence Z, possui motor de 70 kw de potência com desempenho semelhante a um carro convencional movido à gasolina com motor 2.0 e 16 válvulas. O sistema Mob-i, que fará o monitoramento, foi desenvolvido pela empresa de tecnologia de Portugal CEiiA em parceria com a o Parque Tecnológico de Itaipú. O sistema permite monitorar a localização do carro, velocidade, deslocamento e redução da quantidade de CO2 emitidos.

O veículo foi cedido ao Exército em caráter de empréstimo por dois anos, renováveis por mais dois. O posto de abastecimento, montado no QG do Exército em Brasília, é capaz de fornecer energia para até dois veículos simultaneamente, carregando-os em quatro horas e proporcionando até 200 quilômetros de autonomia. Esta energia será provenientes dos 360 painéis fotovoltaicos instalados e conectados a seis inversores solares com potência total de 90 kW.
De acordo com o diretor geral da Itaipu Binacional, Jorge Miguel Samek, o sistema de armazenamento de energia faz parte de um projeto mais amplo que deverá ser consolidado até o final do ano. “Nós queremos neste ano consolidar a implantação desse projeto e, a partir daí, entrar em escala e em uma dinâmica que vá abastecendo toda a necessidade que o Exército possui”, acrescentou.

Segundo Samek, o primeiro grande container, que já saiu de Itaipu, chegará até o próximo mês de maio. O sistema será instalado em pelotões de fronteira e em outras organizações militares do Exército na região amazônica. Este procedimento faz parte de um acordo de cooperação firmado entre a Força Terrestre, Itaipu e a Fundação Parque Tecnológico Itaipu.

Também estiveram presentes na cerimônia, o secretário-geral do Ministério da Defesa, general Silva e Luna, a secretária de Produtos de Defesa (SEPROD), Perpétua Almeida, a diretora financeira executiva de Itaipu, Margaret Groff e o diretor-superintendente da FPTI, Juan Carlos Sotuyo.


Publicado no Verdesobrerodas

Origem: tecnodefesa

Tuesday, July 26, 2016

Alemanha quer banir carro novo a gasolina em 2030

O governo da Alemanha quer reduzir entre 80% e 95% as emissões de CO2 (gás carbônico, causador do efeito estufa) até 2050, e para isso acontecer tomará algumas medidas. A mais impactante será em 2030, quando todos os carros novos vendidos por lá deverão usar motorizações limpas e livres de emissões (ou seja, alimentadas por eletricidade).
Corta essa: primeira meta do governo já é para 2020

A transição será gradual: para 2020, a meta é reduzir o nível de emissões em 40%, na comparação com os níveis de 1990. Para bater a meta, o governo vai criar incentivos em dinheiro para aumentar as vendas de carros elétricos.
Com os incentivos, a expectativa do Ministério do Meio Ambiente alemão é que sejam vendidos 500 mil carros elétricos no país nos próximos quatro anos -- a atual frota alemã conta com apenas 130 mil híbridos e 25 mil elétricos. Além disso, o governo espera que sejam vendidos 1 milhão de carros híbridos (que ainda emitem gases, embora menos) no mesmo período.
A medida deve valer apenas para veículos leves. O governo alemão ainda não disse nada a respeito de ônibus e caminhões.
Fonte: Carro Online

Zotye apresenta futuros nacionais e confirma urbaninho 100% elétrico para 2017

Zotye
Após confirmar a instalação de sua primeira fábrica no Brasil, a chinesa Zotye apresentou os modelos que serão montados no país em evento realizado na cidade de Goianésia (GO), município que receberá a fábrica.
Zotye T600 Sport1
Conforme anunciado, os modelos apresentados serão produzidos no Brasil a partir de 2018, ano que a fábrica começa a operar no país. Na ocasião, a Zotye também confirmou a montagem nacional do city car 100% elétrico E200.
Zotye E200
Zotye E200: urbaninho elétrico chega em 2017, primeiro importado e depois com produção nacional
No período em que a fábrica estiver em construção os veículos virão da China. De acordo com a marca, as primeiras unidades dos modelos Z100 Logic e T200 já estão sendo importadas e começam a ser vendidas ainda neste ano. Em 2017 chegam os modelos SUV T600 2.0 Turbo e o E200 100% elétrico.
Zotye
Fábrica da Zotye em Goiás ficará pronta até o fim de 2018
Fruto de um investimento de R$ 150 milhões, a nova fábrica será erguida em área de 200.000 m² e irá gerar cerca de 1.000 empregos diretos e indiretos. Com capacidade de produção inicial de 20.000 unidades/ano, a filial irá atender o mercado interno e países como Uruguai, Paraguai, Bolívia, Costa Rica e Chile, onde a marca já opera como importadora.

Monday, July 25, 2016

Peugeot investirá em geradores para elétricos

O Grupo PSA Peugeot-Citroën pretende lançar 34 modelos nos próximos cinco anos para tentar aumentar suas receitas em 10% até 2018 e depois mais 15% até 2021. Dentro destes novos modelos estão planejados sete híbridos plug-in e quatro totalmente elétricos que, de acordo com a agência de notícias Reuters, podem contar com extensores de bateria para melhorarem suas autonomias.
Conceito esportivo elétrico EX1 da Peugeot foi mostrado em 2010

Segundo a agência, a Peugeot está trabalhando em parceria com a empresa israelense Aquarius Engines para desenvolver extensores de bateria (geradores) baseados num motor monocilíndrico de 600 cm³. A estratégia visa reduzir os custos da eletrificação de seus carros, uma vez que eles seriam um atalho para se conseguir mais autonomia sem precisar investir pesado em baterias de alta capacidade. 
Marcas como a Chevrolet (com o Bolt) e BMW (com o i3) já se aproveitam destes extensores para abastecer a bateria. O motor a combustão que equipa os carros não traciona as rodas do veículo, funcionam apenas como geradores de eletricidade para que a bateria carregue mais rápido (por isso eles podem continuar sendo caracterizados como elétricos, pois somente os motores elétricos movimentam os automóveis, como é a ideia da Peugeot). 
Ainda não há uma data para que a parceria comece a render frutos ao grupo francês, mas a empresa de Israel deve iniciar os testes com protótipos no ano que vem.
Fonte: Carro Online

EBD: a atuação da distribuição eletrônica de frenagem

No sistema de freios, o EBD entra em ação junto com o ABS ou é desativado com a entrada em ação deste sistema? Qual faixa de velocidade o EBD é ativado? Ele está presente nas quatro rodas?
Paulo Cesar Magalhães – Nova Iguaçu, RJ

O sistema de distribuição eletrônica da força de frenagem (Electronic Brake Distribution, EBD) é um dos recursos que podem constar do sistema de freios dotado de dispositivo antitravamento (ABS). Ele atua tanto durante uma frenagem de baixa desaceleração quanto em uma emergência em que o ABS atue, e está aplicado às quatro rodas.
Para que o veículo possa frear com segurança e no menor espaço possível, deve haver um balanceamento perfeito entre a atuação dos freios dianteiros e a dos traseiros. Isso não significa que a força de frenagem deva ser a mesma nos dois eixos.
Pressao-de-frenagem
Gráfico da pressão hidráulica em cada eixo em um sistema típico, com válvula equalizadora: a partir de certo ponto, a pressão dos freios dianteiros aumenta bem mais que a dos traseiros

Se houver mais atuação no freio dianteiro do que seria ideal, o espaço de frenagem será maior: os pneus dianteiros já estão em seu limite de aderência, enquanto os traseiros ainda não estão “segurando” o carro com toda capacidade que teriam. Além disso, pouca atuação nos freios traseiros aumenta a tendência de o veículo ziguezaguear, pelo fato de a traseira “querer” passar a frente. Nesse caso os freios traseiros ajudam a alinhar o veículo como um todo, fazendo papel semelhante ao da rabiola da pipa.
Por outro lado, seguindo o princípio de que o eixo traseiro mantém o veículo em linha reta, os freios desse eixo não podem ter atuação tão grande a ponto de serem os primeiros a travar as rodas. Caso isso ocorra o veículo tende a rodopiar, o conhecido “cavalo de pau” que acontece quando se aciona de modo repentino o freio de estacionamento (este, na quase totalidade dos carros, atua apenas na traseira).
Esse conceito também é valido para desenvolvimento de suspensão e direção: deve-se, para uma condução mais segura em emergência, projetar o veículo para que os pneus dianteiros percam aderência em curvas antes dos traseiros (subesterço). Afinal, é muito mais fácil controlar um veículo indo reto do que rodando, fechando a curva. Um aprofundamento maior no assunto fica para outra consulta.
Há vários fatores envolvidos no cálculo do balanceamento ideal entre os freios dianteiros e traseiros. Ao contrário do dito popular de 70% de frenagem na frente e 30% atrás, é comum em carros pequenos com motor e tração dianteiros que essa divisão fique ao redor de 85%-15%, na ordem. Alguns pequenos “aventureiros” com suspensão elevada (o que deixa mais alto o centro de gravidade) chegam a 90%-10% em frenagem de emergência. O refinamento chega ao ponto de versões “aventureiras” com o estepe pendurado atrás receberem sistema de freios diferente dos modelos de origem, para que se compense o peso do pneu.
Alguns veículos usam válvulas sensíveis à variação de carga no eixo traseiro, que encaminham mais pressão de óleo para aquele eixo quando o veículo está carregado. Essa estratégia foi muito usada em peruas e ainda se vê com frequência em picapes, desde as pequenas até as maiores. Por isso, é necessário cuidado ao se alterar um sistema de freios.

Freios - EBD
Representação da Mitsubishi para a redução de espaço de frenagem com EBD

A maioria gosta de aumentar o diâmetro dos discos dianteiros, visando a uma menor possibilidade de superaquecimento por excesso de uso (fading), como descida de serra ou corrida em circuito (track day). Pode ser que até se aumente a resistência ao aquecimento, mas o carro necessitará de maior distância em situação de emergência, uma vez que as rodas dianteiras travarão antes que os freios traseiros possam atuar plenamente. Outro ponto de atenção é ao rebaixar a altura de rodagem de carros com válvula sensível à carga — atitude comum em picapes pequenas. A válvula “entenderá” que há carga na caçamba, pela suspensão mais baixa, e enviará mais pressão à traseira, com risco de travamento desse eixo e de perda de controle do veículo.
Em condições normais, o EBD atua toda vez que se pisa no freio, em todas as rodas e em quase qualquer velocidade (em geral acima de 5 a 8 km/h), ajudando numa distribuição mais eficiente de pressão de fluido não só entre a dianteira e a traseira, mas também entre as rodas esquerda e direita do mesmo eixo. Digamos que se freie o carro numa curva acentuada em velocidade mais alta, impondo acelerações laterais elevadas e, em consequência, baixa carga aos pneus internos à curva. Por meio do modelo matemático e da calibração específica do sistema para aquele veículo, pode ocorrer que o EBD envie 70 bars de pressão para a roda externa à curva e apenas 5 bars à roda interna num veículo pequeno de tração dianteira.
Ou seja, nesta situação o EBD, além de ajudar na frenagem, evita o funcionamento do ABS. Caso as pressões fossem iguais, haveria o travamento das rodas internas e o ABS seria chamado a evitar o bloqueio. Se mesmo assim houver o travamento, o ABS aliviará a pressão em uma ou algumas rodas a fim de mantê-las com velocidade em torno de 20% menor que a do veículo em relação ao solo. O motivo para isso é que o pneu, em geral, alcança seu pico de aderência quando há cerca de 20% de escorregamento.
Fonte: Best Cars

Sunday, July 24, 2016

Pétalas de rosa aumentam eficiência de células solares


Pétalas de rosa aumentam eficiência de células solares
Biomimética: A epiderme de uma pétala de rosa foi replicada na forma de uma camada transparente que é integrada a uma célula solar.[Imagem: Guillaume Gomard/KIT]
Fotossíntese artificial
Pesquisadores alemães replicaram a estrutura das células epidérmicas das pétalas de rosa, que possuem propriedades antirreflexo excepcionais, e as integraram em uma célula solar orgânica.
Com uma superfície semelhante à das rosas, as células solares melhoraram sua capacidade de captar a luz e, em decorrência, de gerar mais energia. A modificação resultou em um ganho de eficiência de pelo menos 12% - os níveis foram maiores dependendo da posição do Sol.
A equipe começou avaliando as propriedades ópticas e, acima de tudo, o efeito antirreflexo das células epidérmicas de várias espécies de plantas. Estas propriedades se mostraram particularmente fortes nas pétalas de rosa, sendo responsáveis pelas cores mais fortes, o que aumenta suas chances de polinização.
A busca nas plantas se justifica porque as células fotovoltaicas têm um mecanismo de funcionamento que lembra a fotossíntese das plantas, no sentido de que a energia da luz é absorvida e transformada em uma forma diferente de energia. Nesse processo, é importante aproveitar a maior porção possível do espectro de luz do Sol e captar a luz de vários ângulos de incidência, já que o ângulo muda com a posição do Sol. E as plantas levaram milhões de anos de evolução aprimorando essa capacidade.
Folha de rosa artificial
Quando vista sob o microscópio eletrônico, a epiderme das pétalas de rosa se mostra como uma série de microestruturas muitas densas, dispostas sem um padrão aparente, com nervuras adicionais formadas por nanoestruturas também posicionadas aleatoriamente.
A fim de replicar exatamente essa estrutura sobre uma área maior, Ruben Hünig e seus colegas do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe transferiram-na para um molde de polidimetilsiloxano - um polímero à base de silício - e depois prensaram a estrutura negativa resultante sobre uma cola fotossensível, que foi finalmente deixada para curar sob luz ultravioleta.
"Este método fácil e de baixo custo cria microestruturas com uma profundidade e densidade que dificilmente poderiam ser obtidas com técnicas artificiais," disse o professor Guillaume Gomard, coordenador do trabalho.
Depois de curada, a estrutura rugosa em nanoescala, mas fina e transparente quando vista a olho nu, foi colada sobre células solares orgânicas.

O resultado foi um ganho de eficiência na conversão de energia de 12% para a luz incidente verticalmente, mas ainda maior sob ângulos de incidência muito elevados, o que aumenta bastante o rendimento geral da célula solar ao permitir capturar a luz do Sol quando ele está baixo no horizonte.

Americano cria “Uber” para jogadores de Pokémon Go


Pokémon Go é um jogo viciante, no entanto, alguns usuários estão passando dos limites e causando acidentes ao dirigir enquanto jogam. Pensando em evitar esses acidentes e ganhar algum dinheiro extra, Marc Walters, morador de Margate, Estados Unidos, passou a transportar os jogadores com segurança.
Walters custa US$ 25 a hora, ou seja, cerca de R$ 80. Por esse valor, o americano dirige ao redor de PokéStops, ginásios locais e parques, ajudando os treinadores a encontrarem os “monstrinhos virtuais”.
“Eu ainda não ganho muito, mas é realmente divertido. E estou tentando ajudar as crianças, fiquei com medo de elas serem atropeladas ao algo assim”, disse Walters a um jornal local.
Fonte: Car Sale

Saturday, July 23, 2016

CARRINHO DE GOLFE DA MERCEDES-BENZ TEM LUXO E MUITA TECNOLOGIA

Feito em parceria com a Garia, conceito apresenta traços futuristas e até acabamento em fibra de carbono

 Mercedes-Benz/Garia Real Sports Car
A Mercedes se uniu a Garia, um fabricante de carrinhos de golfe, para acabar com o visual pacato desse tipo de veículo. Batizado de Real Sports Car e com um quê de Smart Fortwo, o protótipo de luxo teve duas unidades produzidas para testar a receptividade do público.
 Mercedes-Benz/Garia Real Sports Car
Em relação ao visual, o projeto da Mercedes-Benz tem desenho ousado, com para-brisa inclinado (e aquecido), grade com acabamento que simula uma bola de golfe, faróis espichados de led, teto de fibra de carbono e um conjunto de rodas de cinco raios maiores do que o convencional. Na parte traseira, há um difusor com função estética, além de espaço para os bags que levam os tacos dos jogadores.
 Mercedes-Benz/Garia Real Sports Car
A cabine segue o desenho futurista e traz um banco inteiriço de couro moldado (com compartimento refrigerado oculto embaixo), porta-copos e porta-garrafas, além de acabamento à la Mercedes, com uso de couro, madeira e fibra de carbono. Há também alto-falantes nas colunas, conexão Bluetooth e uma tela sensível ao toque de 10 polegadas no centro do painel - que exibe informações do modelo, além de possuir aplicativos para auxiliar nas partidas de golfe e até permitir o pedido de bebidas diretamente do carrinho ao clube em que o usuário estiver.
 Mercedes-Benz/Garia Real Sports Car
O Real Sports Car é movido por um motor elétrico de 3 kW (4 cv), alimentado por uma bateria de lítio. A carga completa é realizada em seis horas, proporcionando autonomia de até 80 quilômetros. A velocidade máxima é limitada em 30 km/h.

Fonte: Quatro Rodas

Friday, July 22, 2016

Aeroporto Internacional do Recife ganha estações de carregamento para veículo elétrico


De acordo com a Estapar, empresa que venceu licitação para operar o estacionamento em 2014, quanto maior o período de uso, maior é o abatimento. Pela tabela vigente, o preço de cada diária é R$ 35. 

Foram investidos cerca de R$ 9 milhões na reforma do edifício-garagem, que possui 2 mil vagas cobertas. O investimento contemplou  a construção de uma cobertura entre o edifício-garagem e o terminal. 
“Temos muito orgulho de anunciar essa inauguração e queremos comemorar com nossos clientes. Investimos muito para entregar o melhor e mais moderno edifício-garagem aeroportuário do país”, afirma André Iasi, CEO da Estapar.

Entre as melhorias empregadas no estacionamento, estão sinalizador individual de vagas, instalação de oito Estações de Pagamento Automático (EPA) e  projeto de iluminação em LED, além de carregador de veículo elétrico.


Publicado no Verdesobrerodas



Origem: Jconline

GM testa compartilhamento de carros no Brasil

 GM Maven
A General Motors começa a testar no Brasil o Maven, programa de compartilhamento de carros, de início restrito a empregados da empresa em São Caetano do Sul, SP. Parte de um programa global da GM, o Maven permite a locação do veículo por hora ou por dia, contratada por um aplicativo no telefone, que é usado também para travar e destravar as portas do carro.
 Na primeira fase a ação opera com retirada e entrega em pontos localizados na fábrica. O valor a ser pago é de R$ 35 por hora ou até R$ 210 para 24 horas, já incluídos o combustível e o seguro do carro, na própria folha de pagamento do empregado. A frota começa com o Chevrolet Cruze LTZ dotado de sistema On Star para serviços de emergência, segurança e navegação. A intenção da GM é oferecer o programa com mais pontos de retirada e entrega e, mais adiante, a clientes externos.
Fonte: Best Cars

Thursday, July 21, 2016

Indústria brasileira deverá focar carros elétricos e híbridos


O engenheiro Antônio Megale é o novo presidente da Anfavea. Em sua posse, ele adiantou que sua gestão será focada na eficiência energética e em pesquisa e desenvolvimento. A promessa é de dar sustentabilidade aos segmentos de elétricos e híbridos, ainda não devidamente regulamentados no Brasil. 

A expectativa é que os dois tipos de veículo obtenham junto ao governo uma política fiscal que permita incentivar sua produção no Brasil, assim como fomentar a infraestrutura necessária para dar suporte à demanda de mercado. 
Megale também diz que a partir de 2018, os carros brasileiros serão muito diferentes dos atuais, por conta da maior eficiência energética, que reduzirá consumo de combustível e emissão de poluentes, tornando o carro nacional atualizado diante do mercado internacional. 

Mas, antes disso, a missão é reverter o quadro atual da indústria, onde 50% da capacidade instalada está ociosa entre as montadoras de automóveis, chegando mesmo a 80% no segmento de caminhões e ônibus.

VerdeSobreRodas, o seu ponto de encontro com a mobilidade sustentável

Postagem: Indústria brasileira deverá focar carros elétricos e híbridos


Publicado no Verdesobrerodas


Origem: Noticias Automotivas

MERCEDES-BENZ MOSTRA COMO SERÃO SEUS ÔNIBUS NO FUTURO PRÓXIMO

Protótipo foi testado por 20 quilômetros numa rota de BRT na Holanda. Future Bus trafega a até 70 km/h em modo autônomo

Mercedes-Benz Future Bus
A Mercedes-Benz apresentou nessa segunda-feira (18) o Future Bus numa prévia do Salão Internacional de Veículos Comerciais (IAA), na Holanda. A marca ainda promoveu um teste com o ônibus do futuro, que trafegou 20 quilômetros sem auxílio do motorista por uma das maiores rotas de BRT da Europa. 
Mercedes-Benz Future Bus
Batizado de City Pilot, a tecnologia autônoma que equipa o Future Bus é baseada na do caminhão Mercedes-Benz Actros - apresentado há dois anos. No entanto, ela foi otimizada para ser utilizada na cidade, e não somente em estradas como no caminhão. Com capacidade de rodar a até 70 km/h em modo autônomo, o Future Bus é capaz de reconhecer placas de trânsito e semáforos, além de abrir e fechar as portas nas paradas, trafegar por túneis e frear automaticamente quando detectar obstáculos e pedestres à sua frente.
Mercedes-Benz Future Bus
Tudo isso é possível porque ele é equipado com GPS, câmeras e radares de curto e longo alcance, que monitoram todo o tempo o percurso, além de posicioná-lo corretamente na via. Porém, o Future Bus sempre tem uma pessoa responsável por acompanhá-lo em sua condução autônoma, podendo retomar o comando do ônibus quando for preciso - como em situações na qual a estrada não conta com estrutura para um veículo autônomo ou em ocasiões de emergência.
Mercedes-Benz Future Bus
Mercedes-Benz Future Bus
Para demonstrar a capacidade do protótipo, a Mercedes-Benz colocou o Future Bus para percorrer um trajeto de 20 quilômetros num corredor de BRT (Bus Rapid Transit) na Holanda. Com um circuito que liga o aeroporto de Amsterdã a cidade de Haarlem, o ônibus do futuro trafegou por diversas curvas, túneis e cruzamentos com semáforos. Além disso, a Mercedes-Benz pode se comunicar via wi-fi com o veículo para obter informações sobre os semáforos que estão por vir na rota.
Mercedes-Benz Future Bus
Mercedes-Benz Future Bus
Por dentro, o Future Bus conta com iluminação em led, além de duas portas centrais para entrada e saída de passageiros e bancos laterais inteiriços com dois lugares cada. O visual externo traz linhas que remetem aos ônibus da marca fabricados na década de 1990, com o toque moderno ficando a cargo do sistema de iluminação azul na parte dianteira e nos contornos das janelas laterais. A temática futurista é seguida em cada detalhe. Embora ainda seja um protótipo, o Future Bus é chamado como o “ônibus do amanhã” pela Mercedes-Benz e não será surpresa se ele chegar às ruas nos próximos oito anos. 

Fonte: Quatro Rodas